O conceito Paperless não só tem a ver com sermos mais conscientes com o planeta e salvarmos recursos finitos, mas também com as melhores práticas de produção, evitando ao máximo erros operacionais. As agências reguladoras cada vez mais entendem que essa é a solução de vários problemas relacionados à Integridade de Dados, e a indústria entende que essa é a solução de vários problemas de eficiência em sua produção. Una a visão da agência e da indústria, e teremos o Conceito Sem Papel para a Indústria Farmacêutica.

 

Graduado em Engenharia Elétrica e Mecatrônica, e possui um MBA pela FGV. Possui 20 anos de experiência em projetos de automação na indústria farmacêutica e de biotecnologia. É especialista no desenvolvimento de projetos de automação para ambientes BPx orientados a GAMP, CFR21Part11 e Validação. Já desenvolveu sistemas de automação para controle de processo, máquinas de envase, inspeção, lavagem e e esterilização, CIP/SIP, embalagem, BMS, FMS, MES, SCADA, em projetos da Novo Nordisk, Libbs, Bionovis, Orygen, Fresenius, Biochimico, Butantan. Nos últimos anos tem atuado como líder da transformação digital em na indústria farmacêutica. Participou da elaboração do Guia de Integridade de Dados – Manufacturing Records RDI do ISPE. É atualmente o Líder do Comitê GAMP Brasil e membro do Grupo de Interesses Global de Pharma 4.0.